Leoni Siqueira

nunca

o ar esteve

tão árido

nunca

tão raro

.

na tv

tramas geométricas

de covas recém abertas

cobrem toda a tela

a arte pop

dos nossos tempos

infernais

.

nunca

estivemos tão

sós e miseráveis tão

ao rés do chão

sonho que não

sei mais sonhar

dura uma eternidade

esse momento

nessa cela

as estrelas são tristes

borrões de tinta

sem brilho

sobre o chapisco

.

minha vingança

virá sem gozo

um passeio entre as ruínas

de um shopping-center

sentindo a raiva

que eu não queria

que não me pertence

.

quando o sol

chegar abrindo

a barriga da manhã

com a lâmina dos seus raios

embolado na beleza

tornada possível

acharemos o medo

de tudo

de horrível

de que ainda seremos

capazes.

--

--