FOTO: Reprodução/GShow

O melhor que se faz é ouvir as músicas da Karol Conká

A primeira música do primeiro álbum da Karol Conká é profética. Coloquei a letra de “O melhor que se faz” no fim do texto. Poderia ser cantada como trilha do momento pelo qual ela e o Brasil passam agora. A postura do brasileiro, ultimamente, tem sido de condenar de forma indignada qualquer erro ou desvio de qualquer um. Como se todos nós, juízes implacáveis, fôssemos virtuosos e que a punição fosse o melhor remédio para nos mantermos no caminho da retidão moral. Pior, no caminho do que cada um de nós acredita ser essa tal de retidão moral.

No caso de uma figura pública, isso fica ainda mais violento. Muita gente confunde a obra com o artista, exigindo desse uma conduta ilibada. É claro que há casos imperdoáveis de violência, estupro, assassinato. Não é o caso da Karol.

Aqui vai um segredo nada escondido: existe muito artista escroto. Muito. Como existe muita gente escrota no mundo. Aliás, num meio em que, para vencer, a gente tem que ser ambicioso, determinado, autocentrado, confiante, agressivo, competitivo, às vezes grosseiro, o mais comum é que as grandes estrelas sejam pessoas insuportáveis. Se não fossem assim não chegariam ao topo. Eu não sou exceção. Já fui muitas vezes insensível com quem estava ao meu redor, já puxei a brasa para a minha sardinha, fui egoísta. Provavelmente fui indelicado muito mais vezes do que percebi ser.

O ídolo maior do Keith Richards sempre foi Chuck Berry. Seu jeito de tocar guitarra, sua atitude no palco, suas composições, foram inspiração fundamental para o roqueiro mais arquetípico do mundo. Por conta dessa admiração, ele resolveu produzir um DVD para o ídolo. Foi aí que descobriu a pessoa detestável que estava por trás da lenda. Inclusive, Keith Richards diz que seu único arrependimento na vida foi ter produzido esse trabalho.

Só para esclarecer, no meio artístico também há pessoas maravilhosas. Que bom que não me decepcionei com muitos daqueles e daquelas que me inspiraram na adolescência, com quem acabei convivendo de forma mais regular.

Por conta dessa realidade, muitas vezes prefiro não conhecer meus ídolos, para poder continuar a admirá-los. Certa vez, depois de um show maravilhoso no Teatro Municipal do Rio, uma pessoa da equipe do Rufus Wainright convidou Luciana e eu para uma festa que o artista ia dar. Nós recusamos o convite. Vai que Rufus é desagradável ou trata a gente mal… Preferimos não correr o risco. Suas músicas são muito importantes para nós. Muito mais que uma festa.

A banda Oasis, conhecida pela dupla de irmãos mais arrogante e beligerante do rock recente, já avisou em “Don’t look back in anger”: “Please don’t put your life in the hands / of a Rock n Roll band / who’ll throw it all away” (Por favor, não coloque sua vida nas mãos / de uma banda de rock / que vai jogar tudo fora).

Artistas fazem arte, não são modelos de comportamento e virtude. E não devem ser cobrados por algo que nunca prometeram dar. Muitas vezes, na maioria delas, têm uma persona pública muito mais legal que eles mesmos. Eu preferia Picasso, o artista irreverente, que pagava suas contas com desenhos, antes de descobrir como ele destruiu suas mulheres. Embora seus quadros continuem geniais para mim, há um desconforto em admirá-los que antes não existia. É razoável me sentir assim? É uma discussão muito difícil.

Além do mais, quando a gente está num ambiente competitivo e tóxico como o do BBB, exposto para todo o Brasil, o mais provável é que apareçam lados nossos que nos esforçamos para esconder do público. O BBB não é um Reality Show. O que tem de real em estar trancado meses numa casa, com dezenas de desconhecidos, câmeras por todos os lados, regras humilhantes, julgamento cruel do público e das pessoas que dividem o teto com você, divisão dessas mesmas pessoas em classes antagônicas e mutáveis e um milhão e meio de reais no fim do túnel, justificando todas as canalhices que as pessoas aceitam fazer por dinheiro? Ninguém é espontâneo e equilibrado numa situação dessas.

Tudo isso para dizer que acho Karol Conká uma artista maravilhosa, com um repertório muito consistente e que descobrir coisas desabonadoras sobre a sua personalidade, especialmente na situação em que essas “falhas” apareceram, não altera em nada seu valor musical para mim. Não vou ouvi-la menos, nem mais do que a ouvia antes. Até porque, como ela mesmo diz na letra da música que abre seu primeiro álbum, “somos simples criaturas em desenvolvimento”.

https://www.youtube.com/embed/WBfkZYH3JHI

Melhor Que Se Faz

(Karol Conká)

Pra que tudo isso, é tanta coisa se perdendo,

Julgamentos ao léu corações endurecendo,

Com o tempo eu fui vendo, vivendo, e entendendo,

Que somos simples criaturas em desenvolvimento,

Erros cometidos, alguém vai condenar,

Ninguém é compreendido, ninguém sabe perdoar,

No final somos todos reféns do próprio sentimento,

Afogando as mágoas numa piscina de lamentos,

Momentos contraditórios me deixam meio confusa,

Tento me adaptar, mais tem coisa que não muda,

Já não sei se posso suportar,

Tanto constrangimento, me fazendo enjoar,

Acho que é melhor deixar pra lá, tenho que me ocupar

Com o que possa me fortificar,

Deixa que o tempo se encarregue de arrumar,

Algo que faça com que as peças possam se encaixar…

Seja lá o que for deixa a mágoa pra trás,

É o melhor que se faz,

Vê se é isso mesmo que te satisfaz,

É só correr atrás,

Se alguém errou é só não errar mais,

Pra onde eu vou o certo se atrai, então vai,

Ohai ohai ohai

É o melhor que se faz

Egos inflados, opiniões são expostas,

Rancor acumulado apoiado nas próprias costas,

Falso sorriso é lançado por obrigação,

Correndo risco de se perder na interpretação,

A junção de razões fortalece o que é coerente,

Permanece o que é real e a mentira se torna ausente, somos sujeitos anormais querendo atenção,

Seres reais, criando uma conexão,

O mundo gira, deixa que ele trabalhe,

E a gente pira, aqui não há um que se cale,

Bota na balança tudo que for de benéfico,

Renove a esperança sem sentimento sintético

Siga na paz, eleve a alma,

Nos momentos de aflição, o esquema é ter calma,

A vida inteira é feita pra ser feliz,

Abra os olhos pro que o coração te diz!

Seja lá o que for deixa a mágoa pra trás,

É o melhor que se faz,

Vê se é isso mesmo que te satisfaz,

É só correr atrás,

Se alguém errou é só não errar mais,

Pra onde eu vou o certo se atrai, então vai,

Ohai ohai ohai

É o melhor que se faz (2x)

--

--

Love podcasts or audiobooks? Learn on the go with our new app.

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store